A lenda de Romãozinho

Segundo a lenda de Romãozinho, ele é um menino negrinho muito arteiro, filho de um agricultor que já nasceu mau que nem um diabinho. Ele sempre gostou de maltratar os animais e destruir as plantas.

Certa feita, sua mãe mandou-o levar o almoço ao pai, que trabalhava na roça. O encapetado já foi de má vontade, no meio do caminho resolveu comer os pedaços de frango e deixar os ossos para o pai. O garoto disse ao pai que sua mãe havia mandado apenas aquilo, o pai viu os ossos e ficou furioso, virou as costas para a roça e foi a passos largos para a casa, a fim de dar uma surra na mulher.

Enlouquecido de raiva, o pai pegou uma faca e matou a esposa. Antes de morrer, a mãe amaldiçoou o filho que dava risadas, dizendo:

- Você não morrerá nunca, não conhecerá a paz, não descansará enquanto existir um vivente sobre a terra!

Romãozinho riu ante a maldição e foi embora. Desde então, o menino nunca cresceu, anda pelas estradas e faz travessuras: joga pedras nos telhados, assusta os homens, arranca mudas de árvores, tortura as galinhas.

Mas também às vezes faz coisas boas. Há uma história que diz que uma mulher grávida estava sozinha e entrou em trabalho de parto, e no desespero chamou por Romãozinho e este foi à casa da parteira que depenava uma galinha, a galinha de repente saiu da mão dela e saiu voando, a parteira saiu correndo atrás e a galinha foi jogada na casa da mulher que estava em trabalho de parto.

Contam os antigos que Ramãozinho não gosta de concorrência nas travessuras, quando ve vê um menino fazendo arte na rua, aplica-lhe um susto tão grande que faz o arteiro ficar gago.