Desabafo

Amigo!
Se te conto estas coisas, é porque ao longo dos tempos fostes merecedor da minha confiança
E tenho que colocar para fora o que me aperta o peito
Como tu bem sabes, eu aprendi a cair e me levantar sem ter ninguém para dar a mão
Andava de pé de chão na geada sem ter um agasalho para botar
E a fome sempre rondando por perto

Mas isto é passado
E nem doeu tanto assim
Pros meus dei amor, dei carinho
E sempre ouvi as coisas que eles tinham pra me contar
Com muito amor e compreensão
Ele mostravam o melhor caminho

E agora esperava receber um pouquinho só de volta
Mas o destino sempre foi impiedoso comigo
E por vezes a injustiça e a ingratidão campeiam no coração dos qua a gente mais ama
E as palavras se atropelam chorosas e raivosas
E vão ferindo como o ferro em brasa
Fazendo com que as lágrimas teimem em cair no rosto deste velho

Mas isto eles não veem
Porque eu me retiro calado pro meu canto
E fico me perguntando, aonde foi que eu errei!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>