Encilhei o meu mouro para fazer uma tropeada, tenho que buscar uma ponta de gado comprada pra lá dos Porongos. O tempo estava feio, com chuva guasqueada, mas este peão não fraquejeia, pois corre nas veias o sangue de seus antepassados. Pitangueira da beira da estrada, tu tens o sustento de quem anda longe de

Vamos se chegando gauchada Que no rancho do Madrugão tem muita hospitalidade Canha da pura, churrasco e chimarrão E o bagual véio vai passando de mão em mão Nasci na campanha, Indio guapo barbaridade Mas, ter respeito pelos amigos é minha maior qualidade Sou grosso, sou xucro, Mas sei conservar a amizade E um dia